Home  |  Contato Conosco  |  Quem Somos  |  Blog  |  Links Úteis



HISTÓRIA E CULTURA

 

A longa história de Aqaba remonta aos tempos pré bíblicos, quando era conhecida como Ayla. De acordo com o Antigo Testamento da Bíblia, o Rei Salomão construiu uma frota em Asion-Gaber, a 3 km apenas de onde se situa hoje a actual cidade de Aqaba.

A partir de 106 d.C., os romanos, que dominaram a região a partir da sua base na Síria, também usaram Ayla como porto marítimo comercial até ser controlada pelo Império Bizantino em inícios do século IV. Os Bizantinos nomearam árabes cristãos da Arábia do Sul para governarem a cidade portuária em seu nome.

A Idade Média foi uma época conturbada para Ayla. No século XII, os Cruzados conquistaram a cidade. Construíram um forte na ilha de Far'un, conhecido como Ile de Graye, 7 km ao largo da costa. Ayla foi reconquistada por Saladino e o forte passou a chamar-se Castelo de Saladino. Em contra-ataque, o conhecido cruzado Reinaldo de Châtillon, conquistou a ilha, mas perdeu-a de novo para as forças muçulmanas no ano seguinte.

Quando os Sultões Mamelucos do Egipto se apoderaram da região, rebaptizaram a cidade de Aqaba e, no século XIV, construíram o famoso forte mameluco da cidade. Aos mamelucos seguiram-se os otomanos que dominaram Aqaba durante quatro séculos.

Aqaba foi conquistada aos otomanos em 1917 pelas forças árabes juntamente com T.E. Lawrence. No final da Primeira Guerra Mundial, os ingleses garantiram a segurança de Aqaba para a Jordânia.




Museu Arqueológico de Aqaba

O Museu Arqueológico da Região Aqaba está situado na casa de Sherif Hussein Bin Ali em Aqaba perto do Castelo de Aqaba.

O museu abriu ao público em 1990. Actualmente, tem uma importante colecção do local islâmico de Ayla, do período dos califas bem guiados, período Omíada, período Abássida e Fatímida, representando desta forma, os períodos islâmicos de meados do século VII até inícios do século XII d.C.

Entre as exposições, há uma inscrição cúfica, "Ayat al-Kursi", do Sagrado Alcorão, que encimava a porta de entrada leste (Egipto) da cidade e uma colecção de dinares de ouro fatímidas emitidos em Sajilmasa, Marrocos.

Aqaba é, actualmente, o único porto marítimo da Jordânia. A sua posição estratégica na ponta leste do Mar Vermelho é importante para as rotas comerciais marítimas e terrestres entre a Síria e a Península Arábica, para além de ser um ponto importante na rota da Hajj (peregrinação a Meca). Os resultados das escavações de Ayla com origem em Hijaz, no Iémen, Iraque, Egipto, Marrocos e até mesmo na longínqua China são o testemunho da sua vitalidade como porto marítimo.